Zara e shopping da Bahia vão indenizar jovem vítima de racismo

Após três meses da acusação de injúria racial, a empresa Zara e o Shopping da Bahia, em Salvador, fecharam um acordo extrajudicial com o estudante Luiz Fernandes Júnior, de 28 anos, para que ele não leve um processo judicial adiante.

Fernandes nasceu em Guiné-Bissau e mora em São Franciso do Conde. Ele registrou boletim de ocorrência policial depois de ser discriminado por uma atendente da loja e por um segurança do shopping no dia 28 de dezembro do ano passado. O rapaz foi acusado de ter furtado uma mochila que havia acabado de comprar por R$ 329.

Ao portal UOL, o advogado da vítima, Thiago Thobias, afirmou que o termo de confidencialidade do acordo, celebrado no dia 7 de abril, não permite que as partes revelem o valor da indenização. À época do fato, o representante declarou que pediria R$ 1 milhão às empresas acusadas a título de “indenização civilizatória”.

Como parte do acordo, Luiz Fernandez Júnior se compromete a cessar qualquer ação individual contra a Zara e o Shopping da Bahia. As duas empresas, porém, continuam respondendo na esfera cível a uma ação coletiva proposta pela Educafro.

com informações do BNews

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × dois =