Setembro Amarelo: sindicatos e sociedade prevenindo depressão e suicídio

Setembro Amarelo é o mês que temos que “amarelar” para ampliar a conscientização com os cuidados pela saúde mental e a prevenção do suicídio e de doenças psicológicas na sociedade e na classe trabalhadora. Ritmo de vida acelerado, metas a cumprir, pressão por resultados altíssimos e cobranças ostensivas tem provocado o adoecimento cada vez mais das pessoas nas empresas.

Os altos números de casos mostram a importância de se reverter o quadro, onde trabalhadores e trabalhadoras enfrentam ambientes estressantes, com grande possibilidade de desenvolver ansiedade, síndromes do pânico e de Burnout, chegando à depressão e ao suicídio.

Por isso, a FEC Bahia orienta as entidades filiadas a desenvolverem campanhas nas categorias. Guardadas as diferenças, o comércio também tem empresas que estabelecem metas, chefias que cobram resultados e locais de trabalho que produzem acidentes e pioram a saúde dos comerciários e das comerciárias. É importante mapear os casos presentes nas empresas, dar orientação e apoio a quem precisa, chamar os empresários para tomar medidas preventivas e rever as ações que estão prejudicando a saúde física e, especialmente, mental dos funcionários.

DATA MUNDIAL 

O Setembro Amarelo remete ao dia 10, oficialmente, o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, mas a iniciativa acontece durante todo o ano. Atualmente, é a maior campanha antiestigma do mundo. Esse ano, o lema é “Se precisar, peça ajuda!”. Diversas ações estão sendo desenvolvidas pelo Brasil pelos sindicatos, preocupados com suas categorias e o alto índice de estresse e preocupação no trabalho.

AJUDAR A PREVENIR

O suicídio é uma triste realidade que atinge o mundo todo e gera grandes prejuízos à sociedade. Segundo pesquisa da Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2019, o pior anos de todos, foram registrados mais de 700 mil suicídios em todo o mundo, sem contar com os episódios subnotificados, que indicam mais de 1 milhão de casos. No Brasil, os registros se aproximam de 14 mil casos por ano. Em média, 38 pessoas cometem suicídio por dia.

Enquanto os números diminuem em todo o mundo, países das Américas vão na contramão dessa tendência, com índices que não param de aumentar, segundo a OMS. É essencial campanhas permanentes dos sindicatos e toda sociedade precisa se envolver nessa luta pela vida!

com informações da FEC Bahia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × quatro =