Lula vai incluir propostas da sociedade no Orçamento

Com o PPA Participativo (Plano Plurianual 2024-2027) lançado pelo governo, nesta quarta (19), o presidente Lula (PT) retoma a participação social nas decisões sobre a aplicação dos recursos públicos no Brasil. Assim, os movimentos sociais, sindicais e populares fazem propostas ao PPA, que será encaminhado ao Congresso Nacional, até 31 de agosto.

O presidente disse que é uma novidade no país e comparou o programa com uma família que tem de decidir onde deve gastar o salário do mês. “O fato concreto que a gente faz um orçamento todo mês, e fazer orçamento da União é a mesma coisa. Você tem um monte de arrecadação, às vezes um pouco mais, um pouco menos e tem que decidir para que lado vai distribuir sempre”, afirmou.

Lula destacou o papel das entidades sociais e sindicais em reconstruir o país, após a gestão anterior, que desmontou os conselhos participativos. “Errou feio quem nos últimos anos achou que seria possível governar sem ter sem ter de ouvir a sociedade civil, que as críticas se calariam, se apagariam. A grande verdade, é que, felizmente, contamos com a uma sociedade civil extraordinária que fez da diversidade a sua força para estar mais próxima do povo brasileiro”, disse.

CONGRESSO E REDES SOCIAIS

Em seu discurso, o presidente reafirmou que o Brasil retomará o crescimento econômico e que ninguém será deixado para trás. “A razão da nossa volta não tem outra a não ser a gente provar que esse país pode voltar a crescer economicamente ,que se pode voltar a distribuir renda e riqueza outra vez, que é para isso pode voltar a melhorar a educação outra vez, que as pessoas vão poder sorrir outra vez, andar de cabeça erguida e ser um povo que tem esperança e acreditar naquilo que ele está ajudando a decidir”, afirmou.

O petista lembrou que será preciso muito trabalho dos movimentos para reconstruir o país e um grande passo foi dado com o PPA Participativo. E destacou que o Congresso Nacional eleito em outubro de 2022, é formado também por opositores. “Por isso será preciso também conquistar a narrativa nas redes sociais para esclarecer a população em geral das propostas apresentadas pelos movimentos sociais”, enfatizou.

com informações da Agência Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis + onze =