Governo Lula: preços caem e economia cresce

Além de produzir efeitos positivos na economia (PIB em alta, queda da inflação, 1 milhão de empregos formais e salários 3,9% maiores), as medidas adotadas pelo governo Lula (PT) melhoram a saúde do bolso da população.

Os números do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), de julho, apontaram uma queda de 8,54% nos preços da carne em 12 meses, com uma redução de 7,90% no acumulado do ano. De janeiro a junho de 2023, destacam-se as reduções nos preços de cortes como a alcatra (-11,50%), filé-mignon e contrafilé (-10,17%), acém (-8,49%) e picanha (-7,88%).

QUEDA EM SALVADOR

Segundo estudo do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), publicado no dia 6 de setembro, Salvador teve a segunda maior queda no preço da cesta básica de alimentos no mês de agosto, comparado a julho. Mostra que a queda, também, atingiu 16 das 17 capitais pesquisadas. Natal lidera com 5,2%, Salvador (3,3%), Fortaleza (2,8%), João Pessoa (2,7%) e São Paulo (2,7%). Porto Alegre foi a capital onde o conjunto dos alimentos básicos apresentou o maior custo (R$ 760,59), seguida de São Paulo (R$ 748,47), Florianópolis (R$ 743,94) e Rio de Janeiro (R$ 722,78).

Isso fez os consumidores voltarem a adquirir itens da cesta básica que foram abandonados no passado recente. A aposentada Elisabeth Vieira, de 66 anos, afirma ter percebido redução dos preços de todos os tipos de carne no açougue. Ela conta que voltou a consumir contrafilé, que “está com o preço em conta”, “Chã de dentro e patinho também caíram de preços”. Ela lembra que, apesar de não consumir diariamente, já consegue comprar picanha para um churrasco.

CAUSAS

Especialistas afirmam que a queda nos preços das commodities, a redução no valor dos combustíveis e baixa na cotação do dólar são alguns dos motivos que explicam a desaceleração dos preços. Segundo o economista Diogo Santos, do Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contáveis (Ipead), os principais fatores são a tendência de baixa no valor das commodities agrícolas e energéticas, como petróleo e gás natural, “que acabam gerando uma redução dos custos de produção em diversos setores econômicos com a produção de alimentos”.

com informações do Bahia Econômica e Estado de Minas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove + nove =