Supermercados só oferecem 3,8% de reajuste salarial

Na primeira rodada de negociação com o setor de supermercados, os patrões ofereceram reajustes de R$ 3,8% para os pisos e 3,2% para demais salários. O encontro aconteceu nesta quarta-feira (24), no sindicato patronal.

Além disso, os empresários querem discutir mudanças em temas como compensação de horas extras e jornada 12×36. Para justificar a proposta, o presidente do Sindisuper, Teobaldo Costa, alegou dificuldades por conta da pandemia.

Para rebater o frágil argumento, a presidenta do SintraSuper, Rosa de Souza, lembrou que o setor ficou aberto desde o início da pandemia, pelos decretos do Governo e da Prefeitura. Além disso, mostrou dados que confirmam o bom desempenho do setor supermercadista.

“No Brasil, as vendas cresceram 9,36% comparando 2020 com 2019, segundo o IBGE. Na Bahia, o Dieese mostra que o faturamento dos supermercados cresceu 8,6% no ano passado. Descontada a inflação, também foi positivo: 3,9%. Além disso, grandes redes chegaram a Salvador e novas lojas são abertas na cidade”, pontuou.

VALORIZAR A CATEGORIA

A dirigente ainda lembrou que as reformas feitas pelos governos Temer e Bolsonaro retiraram vários direitos trabalhistas. “É importante que, na campanha salarial, a categoria seja valorizada”, afirmou.

Também dirigente do SintraSuper, Antônio Suzart argumentou que o sindicato tem feito esforços para assinar acordos que sejam bons para as duas partes. “Reajuste abaixo da inflação (estimada em 5,5%) é pouco. Pelos bons números, o setor pode até conceder ganho real”, destacou.

O nosso sindicato está pedindo 8% de reajuste, além de ajustes nos itens econômicos e manutenção das cláusulas sociais vigentes. Participaram da reunião o presidente do Sindicato dos Comerciários de Lauro de Freitas, José Carlos, e os advogados dr. Sérgio Souza e Diogo Freire (SintraSuper). A próxima reunião acontecerá no dia 17 de março.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 + 18 =